''A Moda sai de Moda o Estilo jamais''

% B% d,% Y

''A Moda sai de Moda o Estilo jamais''

A Moda faz parte integrante das nossas vidas.

24 horas por dia queremos estar na moda, mesmo quando ficamos em casa e mesmo para dormir. E ainda bem!

Acordar, olhar para o espelho e ver a cara ensonada e despenteada mas com um pijama lindo e confortável é meio caminho andado para que o dia comece mais leve e confiante.
Quer fique ou não em casa também o conforto é uma das minhas prioridades.
Já lá vão os anos em que o que interessava era estar na moda a qualquer custo.
Lembro-me, que muito nova, achava que valia a pena suportar os sapatos mais altos e chegar ao fim do dia com as pernas a gemer como se tivesse feito uma maratona. Lembro-me também de usar uma roupa tão justa, tão espartilhada que me custava até a respirar. Mas era muito jovem e nessa altura não havia a oferta que há hoje nem a noção de moda e estilo que muitos jovens felizmente já sabem e pretendem vincar.
Usar moda confortável e adequada ao seu biótipo é também uma forma de sustentabilidade. As escolhas são muito mais responsáveis e passa a existir a preocupação para que elas durem mais, uma vez que a fast fashion rapidamente substitui os modelos por outros igualmente bonitos, mas por vezes já com outro design e qualidade de materiais que nem sempre conseguem superar os que estamos habituadas a usar.

Poupo, portanto, dinheiro porque não preciso de comprar tanto. Por vezes, na falta de não conseguir comprar o modelo que tanto usei mas que já não se faz, dou comigo a fazer algumas aplicações de tecidos ou bordados e dou uma nova vida àquela peça que estava já em pré-coma, mas que é a que me dá o conforto necessário.


Pois é, percebi que a minha sustentabilidade é tão importante como a do planeta e que com esta atitude estou também a contribuir para a melhoria da minha qualidade de vida e para o melhor bem estar do mundo em que vivemos.Além disso procuro o alfaiate ou a costureira e com isso estou também a contribuir e encorajar para manter estas profissões vivas.
Há peças que me custam imenso desligar delas. Estou a falar mesmo de básicos! Mas que eram tão bem construídos e estruturados que agora são muito difíceis de encontrar. E é com o “medo” de ter um suportar junto ao corpo tecidos menos “meigos” que surge o alento para a reutilização e recuperação das minhas queridas peças.
É claro que todo o desenvolvimento tecnológico também me ajuda com as novas informações e instruções.
Mas, desengane-se quem pensa que não gosto também de umas compras fast fashion. Tudo tem o seu espaço e só assim se está a conseguir contrabalançar os exageros de uns e o consumo mais moderado de outros.
Mas para que tudo resulte bem, há que ter também a noção do seu corpo e “apurar o olhar”. Quero com isto dizer que é importante olhar o mundo e seus detalhes com uma visão mais pormenorizada.
Apesar da moda ser democrática não assenta a todos da mesma forma. É preciso saber qual o seu biótipo e depois de saber o que lhe é mais recomendável e favorável, então sim, use e abuse da sua criatividade e crie o seu estilo.
Como se sabe “a criatividade não deixa de ser um arranjo original composto por informações recolhidas ao longo de séculos” e que adquirimos diariamente através da cultura e da nossa forma de estar na vida. E é aqui que com a recriação das peças que já tem e às quais vai dar vida nova, contribui para a sustentabilidade e para um “revival style”.
Como o estilo não é estático são estas novas adaptações, o correr dos anos e consequente mudança dos nossos comportamentos, objectivos e gostos que nos levam a construir novos conceitos de estilo sem perdermos a nossa identidade.
Assim mais do que estar na moda é o estilo que o/a define. Não se deixe possuir pela moda. Até porque moda pode comprar, estilo não.
A moda sai de moda, mas o Estilo fica como nos disse a Coco Chanel.
E estilo é muito mais do que roupa!
Estilo é saber conjugar cores, padrões, modelos e adequá-los ao seu corpo.
Estilo é também a sua própria forma de estar na vida e a sua forma de se relacionar com os outros.
Estilo é saber conjugar acessórios com o seu outfit.
Estilo é a graciosidade dos gestos e a gentileza do sorriso.
Estilo é também saber as regras de uso das peças e mais ainda é saber quebrá-las com Estilo.
Estilo é saber usar e abusar de uma excentricidade sem magoar os outros.
Estilo é saber-se cortejar.
Estilo é fincar a sua opinião e aceitar a dos outros.
Estilo é a confiança com que se olha ao espelho e se acha “gorgeous“.
Estilo não se compra, constrói-se!
Mas o Estilo não é elitista nem o ADN o determina.
Ter roupas de “marca” não significa ter estilo. As “marcas” com as características próprias dos seus criadores são apenas orientações. Criam tendências. São apenas importantes pois estão muito atentas à evolução do lifestyle e procuram colmatar com a sua visão alargada e a própria “chancela” as lacunas que percebem haver e assim se vão adequando à evolução da espécie e ao seu modo de estar na vida.
Saber respeitar e manusear com destreza e intuição todas estas características, isto sim é Estilo!
Estilo não é para ricos, nem para pobres.
Estilo é carácter com pitadas de carisma, bom humor, sentido de oportunidade e a expressão na 1ª pessoa da sua personalidade através da criatividade que apostou nas escolhas.
E nunca se esqueça: “vista-se para a pessoa mais importante do mundo que é você mesma”!

Maria Pia


Deja un comentario

Los comentarios serán aprobados antes de ser enviados.


Ver el articulo completo

Azul do céu, no Infinito do mar!
Azul do céu, no Infinito do mar!

% B% d,% Y

Ver el articulo completo
Who dares to be different?
Who dares to be different?

% B% d,% Y

Ver el articulo completo
O Preto e o Branco!
O Preto e o Branco!

% B% d,% Y

Há dias, em que acordamos com um vazio dentro de nós e parece que nada nos preenche.
Ver el articulo completo